Ídolo x Fantasia Sexual

Ídolo x Fantasia Sexual

Já as fantasias sexuais não envolvem a necessidade. Ter uma fantasia sobre algo não significa que você realmente precisa que isso aconteça na vida real, caso contrário não terá satisfação sexual. Em nossas mentes, podemos explorar as experiências que não são possíveis, mas são incrivelmente excitantes para se pensar. O ménage à trois, ou sexo a três, por exemplo, é uma das fantasias mais comuns entre muitos homens e mulheres, mas u m indivíduo que tem essa fantasia pode ter prazer sem estar em um trio. Ou seja, ele não depende disso para ter prazer, é apenas uma vontade. Ou seja, se você não precisa realizar a fantasia para ter sexo, esse não é um fetiche. Os fetiches não são prejudiciais, assim como as fantasias sexuais, desde que seja consensual com o parceiro ou que não atrapalhe a sua vida. Muitas pessoas acabam perdendo o limite entre o fetiche e a obsessão e, neste caso, a ajuda médica é sempre a melhor opção. Fetiches são uma questão de necessidade Muitas pessoas acham que fetiche é a mesma coisa que fantasia sexual, mas existe uma diferença. Um fetiche é um desejo sexual no qual o indivíduo precisa de um objeto ou situação específica para ter prazer. Esse objeto pode ser roupas, uma parte do corpo, algemas, cheiros, pés, etc. A palavra-chave aqui é necessidade. Se você não consegue chegar ao clímax sem essa determinada condição, isso é um fetiche. Os homens são mais propensos a isso do que as mulheres – e também se sentem, normalmente, muito mais à vntade para admitir que têm um fetiche. Um dos fetiches mais comuns é por pés. A simples razão para isto é que a parte do cérebro que controla o impulso sexual é ao lado da parte que controla a entrada sensorial dos pés. Estas peças podem se sobrepor e isso leva a um impulso sexual envolvendo pés. Obviamente, como pés não são associados com a reprodução, esse é um fetiche. O sadomasoquismo é outro exemplo, e ele existe principalmente porque as áreas do cérebro que controlam o prazer também controlam a dor.