Colapsar de quando em quando faz muito

Colapsar de quando em quando faz muito

Tenho acompanhado a evolução da humanidade nesses últimos anos e apesar de não ter tanta idade para fazer uma avaliação mais densa, tenho percebido a movimentação dos últimos meses no Brasil, com muita preocupação. A economia colapsando, a política em um abismo, desemprego, falta de amor, que tem como reflexo a violência e muitas incertezas, estão entre os nossos problemas atuais. Olho para o futuro com certa apreensão, observando de longe, tomando pequenas atitudes para que ações de terceiros não atinja tão fortemente a realidade a minha volta. Me esforço em fazer aquilo que me cabe, video porno como se somente isso fosse necessário. Mesmo assim, imagino que tudo irá colapsar, e acredito que não estou sozinha nesse sentimento. A minha volta existe um mundo aflito, onde a concorrência entre os mais fortes, os mais poderosos, e os mais bonitos, deixam os que se sentem menores de lado. São fraquezas que veem à tona, de uma forma tão inimaginável, que nem parecem ser reais. Mas eu fico imaginando que tanta desordem não signifique apenas o caos. Na minha cabeça permanece a certeza de que a guerra traz a paz, infelizmente não sabemos por quanto tempo, nem para qual lado, mas quando os problemas acabam, nos tornamos mais fortes. Não consigo fazer sexo gay nem imaginar que essa desordem toda não trará em si um momento de mudanças. É mais fácil acreditar que vivemos o encerramento de um ciclo e o início de um novo tempo, onde existirá respeito, luta pela felicidade, pelos sorrisos alheios e pelo bem comum. Não dá mais para acreditar que agir com irresponsabilidade não nos atinge, não dá mais para colocar os fardos pesados nos ombros mais fracos. Que venha o tempo de assumirmos os riscos, mostrar a cara e dizer quem somos. E que os atos sejam mais valiosos que dinheiro e palavras torpes. Que venha o colapso para trazer a consciência de que ha vida melhor para TODOS! Por Lione Acácia